Notícias

  • Diversidade e riqueza de experiência marcam o primeiro dia da Escola Interamericana de EdC no Brasil

    A vocação das organizações da EdC é fazer emergir o melhor que há em cada ser humano, criando espaços de partilha, empatia e igualdade
    por Ana Cassiópia, Regina da Luz Vieira e Rodrigo Apolinário


     Começa a Escola Interamericana de Economia de Comunhão (EdC) para jovens, na Mariápolis Ginetta, em Vargem Grande Paulista, São Paulo, Brasil. Cerca de 60 participantes oriundos de países da América Latina como Paraguai, Argentina, México, Colômbia, Bolívia, Guatemala e Brasil, além de representantes europeus da EdC, constroem uma experiência de comunhão que segue até a próxima sexta-feira, dia 30.
     A programação foi aberta com a reflexão “Origens: a EdC nasce de uma carisma”, feita pela Andréa Cruz, doutora em Ciências da Religião e integrante da comissão internacional da EdC, em que ela situou fatos históricos que cercaram o nascimento mundial da EdC culminando com os conceitos que norteiam essa prática e sistema de pensamento os quais introduzem relações novas, partindo do amor agápico, não se colocando contra nada, mas oferecendo uma qualidade diferenciada ao ambiente econômico e empresarial.
     “A EdC surgiu nesta Mariápolis inserida no contexto do Movimento dos Focolares, portanto, também como expressão de um carisma, emergiu como resposta a demandas históricas e sociais”, reforçou. Andrea disse ainda que a EdC nasceu para fazer empresas e colaborar com a superação da desigualdade, mas não para ser vivida somente na dimensão material. Leia mais...

botão Voltar