Notícias

  • Precisamos falar mais por ações do que por palavras

    Relato de dois jovens brasileiros sobre a forte experiência feita na Summer School Madri 2013 e aquilo que foi o antes e o depois do evento. 
    Rafael Lima:  “(...) Após a escola que tivemos com os assentados em 2013, que para mim foi uma experiência fantástica e demonstrou o quanto precisamos falar mais por ações do que por palavras, o quanto precisamos mais ouvir do que dizer, chegando em Brasília tive a oportunidade de conhecer um jovem que estava a fazendo um trabalho simples, mas que muito me tocou”. E descreve a cena: “Estava eu a esperar o ônibus com um amigo quando vi um jovem pintando uma linha, demarcando uma fila para a linha de ônibus na rodoviária onde a maioria dos estudantes embarca. Acontece que em horário de pico, saem dezenas de estudantes que ficam se estapeando para conseguir lugar no primeiro veículo que aparecer, o que é uma situação extremamente desagradável. Eis a ideia do Ciro Rockert, o referido jovem: reformar a parada. Começou delimitando uma fila para evitar brigas na espera”. Rafael conta que foi até este jovem para agradecer-lhe pela iniciativa e que a conversa durou várias horas e passou por mil assuntos. Ficou, então, a amizade.


    E continua: “Lembrando-me da proposta da EdC, vi que seria muito injusto eu ter uma oportunidade de ir para uma escola de formação, a Summer School 2013 em Madri,  dentro do tema da comunhão e da partilha e ele não poder, então eu o convidei. Na hora ele aceitou, mas ele não tinha o dinheiro da passagem. Tentamos uma ajuda em diversos cantos, até mesmo na universidade mas ninguém acolheu muito, pois era um valor um tanto considerável”. Os dois continuaram a buscar ajuda e conseguiram uma parte através das pessoas ligadas à EdC em Brasília, mas ainda faltava o valor para a passagem. Conseguiram finalmente um empréstimo através do pai do próprio Rafael que combinou a devolução em várias parcelas.


    Foram para Madri em voos diferentes, “mas deu certo! – diz ele – Chegando lá, encontramos as pessoas da organização que foram super prestativas. O evento foi incrível, éramos dos poucos que estavam no meio da graduação. A maioria estava do mestrado para cima. E cada uma das palestras foi sensacional, instigante e inspiradora. Sem contar a oportunidade de poder conversar com vários dos grandes representantes do EdC no mundo”. Entre as coisas que Ciro fez questão de ressaltar, dizia: “Aprendi a pensar de forma empreendedora e o mais importante: aprendi que é possível realizarmos boas ações sem desejar ter aversão ao sistema econômico mais comum: o capitalismo”.


    E Rafael conclui falando da parte que mais lhe marcou: “Para mim, a palestra mais marcante foi a que comentou a importância da gratuidade.  E depois, a cada dia vi que, sempre mais, o mundo cobra que as melhores empresas e pessoas tenham uma participação social no meio em que vivem. Logo, ainda que tardiamente, tenho que agradecer-lhes por cada um destes frutos que vieram do convite para ir à Summer School. Muito Obrigado”. 


    Ciro ainda deixou um recado:A todos que leram esse artigo e que não conhecem ainda a EdC, faço um pedido: inscrevam-se no encontro mais próximo, mostrem suas idéias, projetos e realizações. A companhia de pessoas de grandes almas só os ajudará a se tornarem mais humildes, alegres e bondosos”.


     Veja também a matéria sobre a ideia do Ciro, publicada em admite-se.com.br


    Passageiros de ônibus criam soluções para minimizar problemas do transporte público

botão Voltar